domingo, 14 de novembro de 2010

AS SETE SÍLABAS POÉTICAS

Eu vou alugar seus olhos
Pra falar neste momento
Dum assunto até bem chato
Muitas vezes um tormento
A tal metrificação
Do cordel um elemento

Desde logo, saliento
Que nem sempre fica igual
A tal contagem poética
À dita gramatical
Trato aqui das sete sílabas
Veja só como é legal

Peço atenção pra tal
Pois é item importante
O tamanho de seu verso
Faz o texto elegante
Bem medido, redondinho
Elogios tem bastante

Eu lhe digo neste instante
Por esta rede eletrônica
A contagem dessas sílabas
Pra coisa ficar harmônica
Vai até somente a última
Que na linha for a tônica

A matéria é mnemônica
Eu vou explicar, destarte
Palavra no fim do verso
Pode fazer o descarte
De uma ou duas sílabas
Vamos falar dessa parte

Segundo as regras da arte
Consideramos inteira
Acaso seja oxítona
A palavra derradeira
Pois a sílaba final
É bem forte, altaneira

É feita desta maneira
Meu/ es/ti/ma/do/ lei/TOR
Em/ mai/ús/cu/la/ mar/QUEI
A/ten/te,/ fa/ça/ fa/VOR
A/té/ on/de/ vai/ con/TAR
Eu/ pin/tei/ com/ ou/tra/ COR

Você viu ainda eu por
Umas barras pelo meio
Inclusive um monossílabo
Mas deu pra enxergar, eu creio
Essas tais de sete sílabas
Desculpe se ficou feio

Não cessou o aperreio
Doravante, é comentada
A palavra paroxítona
Da forma explicitada
Sua sílaba final
Deverá ser desprezada

Desse jeito é demonstrada
Co/mo/ é/ su/a/ con/TA/gem
No/te/ bem,/ não/ é/ di/FÍ/cil
Es/sa/ é/ mi/nha/ men/SA/gem
A/pren/den/do/ di/rei/TI/nho
Bo/ta/ sa/ber/ na/ ba/GA/gem

Também falo de passagem
Nes/sa/ re/gri/nha/ po/É/ti/ca
Da/ nos/sa/ pro/pa/ro/XÍ/to/na
Du/ma/ for/ma/ bem/ sin/TÉ/ti/ca
A/té/ a/ an/te/pe/NÚL/ti/ma
A/ con/ta/gem/ vai,/ es/TÉ/ti/ca

Esta via cibernética
É dos melhores canais
Pra trocar informações
Então, compartilho mais
No meio do verso, amigo
Poderá unir vogais

As situações são quais?
Você pode perguntar
Eu respondo, sem demora
Que você pode juntar
Se a sílaba precedente
Átona você notar

Eu vou exemplificar
Co/mo é/fei/ta es/sa/jun/ÇÃO
Há duas no verso acima
Se prestou bem atenção
Se anteceder uma tônica
Não pode fazer, irmão

Chego aqui à conclusão
Esclarecendo, contudo
Esgotar todas as regras
Cá não fiz, eu não iludo
Eu somente repassei
Umas dicas de abelhudo

Não poso de sabe-tudo
Nas letras sou aprendiz
Apenas compartilhar
Esses macetes eu quis
Se conseguir ajudar
Eu vou ficar bem feliz

3 comentários:

  1. quarta-feira, 23 de novembro de 2011
    NATAL CORDEL;
    Natal não é só comércio;
    Festejamos nascimento
    De Jesus nosso irmão
    Jesus nosso alimento,
    Independente a religião
    Ele é puro firmamento.

    Posso não concordar com
    Muitas coisas religiosas,
    Mas o divino existe;
    Suas regras são valiosas
    O mundo precisa de paz
    Facilidades são perigosas.

    DEMPARASO/ADÃO SALINA

    ResponderExcluir
  2. Faz sobre o zika virus por favor

    ResponderExcluir
  3. Faz sobre o zika virus por favor

    ResponderExcluir