quarta-feira, 4 de maio de 2011

O RITUAL DA TUCANDEIRA

Vou pedir sua licença
Pra falar do ritual
Dum ambiente tribal
Na Amazônia Brasileira
Povo Sateré-Mawé
Ora referenciado
Usa no fato abordado
A formiga tucandeira

Esse evento tem por fim
Fazer iniciação
Do garoto em formação
No universo masculino
O rapazinho, portanto
Deve passar pela prova
Pra ver se o povo lhe aprova
Como homem, não menino

Tais insetos são bem grandes
Seu ataque é doloroso
Há de ser bem corajoso
O curumim em questão
Esse ritual consiste
Em levar várias picadas
Das formigas mencionadas
Sem fazer reclamação

Os jovens levantam cedo
E têm os braços pintados
Em seguidas são riscados
Pela própria mãe na tez
Usando um dente de paca
Ela risca até sangrar
É tradição no lugar
Eu asseguro a vocês

Pros guris porem a mão
Uma luva é construída
Ela com palha é tecida
Por tios maternos, padrinhos
No dia da cerimônia
De formigas recheado
Esse acessório é usado
Pelos vários indiozinhos

Manhã da data fatal
As formigas da tortura
São postas numa tintura
De folhas de cajueiro
O líquido anestesia
Então, meio adormecidas
Elas são distribuídas
Em tal luva por inteiro

Quando a festa é começada
No embalo duma dança
Aquela outrora criança
Sente a dor descomunal
Está feita a transição
Para outra fase da vida
Cuja intenção perseguida
É ser guerreiro, afinal

Nenhum comentário:

Postar um comentário